terça-feira, junho 29, 2010

na argentina, esse livro caiu em minhas mãos e eu disse sim

Em "Las Palabras Andantes", o uruguaio Eduardo Galeano escreve muitas ventanas. Essa foi a que mais arejou meus pensamentos:

VENTANA SOBRE EL CUERPO

La Iglesia dice: El cuerpo es una culpa.
La ciencia dice: El cuerpo es una máquina.
La publicidad dice: El cuerpo es un negocio.
El cuerpo dice: Yo soy una fiesta.


Simples e lindo! A edição desse livro é ilustrada pelo brasileiro José Francisco Borges, pernambucano fazedor de cordel.

taxis: sp - bs as -sp

Ele, brasileiro, uns 56 anos, humilde, pede licença. Revistas de celebridades para os passageiros, quer agradar. Só liga o rádio para saber do jogo quando o cliente se interessa pela copa, senão... fica sem saber o resultado da partida. Tem um neto lindo, bonzinho, mas carente. Sua filha casou com um homem que não vale nada, está preso, um miserável.

Ele, argentino, uns 48 ou 50 anos, simpático, torcedor e fã do Maradona, confiável, pai solteiro de uma filha de 22 anos. A filha é universitária, estuda Relações Públicas. O pai, um pouco índio, soriso fácil, choro escondido.

Ele, paraguaio, uns 56 anos, animado, ri a toa. Do Brasil diz que queria a Xuxa e todas as paquitas. Já morou na Itália, 2 anos, na Calábria, onde a gente é realmente boa. E o amor? O amor é como o futebol: muitos jogos, muito choro e muita glória. Está com a mesma mulher há 30 anos. Se viram e em dois meses estavam casados. Amor, amor, amor... futebol, futebol, futebol. Tem um sobrinho, orgulho da família, que joga numa seleção italiana.

Ele, uruguaio, 31 anos, pai de uma menina e de um menino. Torce mesmo para o Uruguai, que está em seu coração mesmo estando na Argentina desde menino. A cidade de Buenos Aires é muito linda, mas o Uruguai... Montevideo, Punta del Este... Pega-se um barco e em uma hora se está lá!

Ele, argentino, 63 anos, voz grave de fumante. Senso de humor apurado. Político, indignado. Se Deus nos fez a sua imagem e semelhança, imagine como ele deve ser...

Ela, brasileira, 46 anos, bonita em sua camisa estampada. Carro limpíssimo, organizado. No rádio, Caetano Veloso canta. Tranquila, quase zen. Divide o taxi com seu pai: de manhã é dele para que ela possa praticar yoga e a noite é dela. Leo Jaime começa a cantar sua mensagem de amor, ela balança seu corpo magro para os lados, empolgada. A noite é dela...

terça-feira, junho 22, 2010

vôo mesmo

E no terceiro dia aprendeu a voar: um pequeno impulso com os pés a levava pro alto. Sempre achou que aquilo era apenas leve flutuação, mas Chico Buarque ensinou a ela que não. Era vôo mesmo. Vôo solo.

segunda-feira, junho 21, 2010

domingo, junho 20, 2010

ela

Se no tempo que gastava pensando em determinados homens (e isso poderia ser medido por toda a sua vida, desde a mais tenra infância), lesse todos os livros de sua estante, biblioteca do bairro, biblioteca da cidade, livrarias... seria a pessoa mais inteligente que já houve... ou, pelo menos, a mais culta.

madrugada

Escrevo no escuro para enxergar melhor. Tentativa desesperada de ordenar o que vejo (e não vejo - escuridão). Sensação de que tudo está e sempre esteve desestruturado, caótico, por um fio. Busco culpados. Não acho. Encontro uma moça que gosta de pisar no vazio e voa sobre a cidade (leve e inconsistente).

quinta-feira, junho 10, 2010

sonido

Colo pedaços de conversas de gente que não conheço ouvidas enquanto ando na rua. Aperto o passo para a frase não fazer sentido; não me interessa chegar ao final do que está sendo dito. Quero retalhar a fala da multidão desconhecida, passar rápido pelo semáforo, atravessar a longa avenida, deixando meus ouvidos furtarem o que virar sonido.

E assim:
estou chegando quando eu fui morder o McMelt férias em Rio Claro nossa essa mulher do elevador a minha mãe é de Curitiba comer no Center 3 passa lá depois menor respeito.

Chego ao outro lado da rua, piso firme no asfalto e fico parada. Fecho os olhos para não ficar louca e volto às diversas vozes que existem dentro da minha cabeça.

pídgin

Existe uma expressão em italiano que eu adoro: "fare una googolata".

No meu terceiro dia de gripe, computador no colo e São Google comigo... algumas descobertas, googolatas para a palavra "pidgin" (que a cada dia me agrada mais).

- Site da revista Pidgin, uma publicação dos alunos de pós-graduação da Escola de Arquitetura de Princeton. Lá você encontra o trabalho dos estudantes, professores, funcionários e amigos da SOA - Princeton School of Architecture. Muito legal!

- Descobri também que pidgin é um Software Livre para mensagem instantânea (o antigo GAIM). Sei!?!?!

- E o que eu mais amei foi o Pidgin Phrasebook, um guiazinho da coleção Lonely Planet sobre as línguas faladas na Oceania. Estão lá os pidgins e crioulos da Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Vanuatu, no norte da Austrália e do Estreito de Torres. Frases rápidas pra você não se apertar por lá! Adorável! Muito me inspira e ativa a imaginação, pelo menos a minha!